sábado, 31 de maio de 2014

ACD Penedo Gordo fora da Taça Nacional!

A ACD Penedo Gordo foi na tarde de hoje eliminada da Taça Nacional da Fundação Inatel perante a equipa do CD Vilarinho de Famalicão. Os homens do concelho de Beja foram derrotados por 3-4. 
No dia de amanhã disputam-se as restantes sete partidas dos oitavos de final, com o destaque a ir para o jogo entre o vice campeão distrital GDR Luzianes-Gare e o Graça do Divor campeão de Évora.

V Torneio Interassociações Sub-14 Vidigueira

Meias-Finais
10H00 - AF Beja 0-3 AF Évora
11H30 - AF Algarve 3-2 AF Portalegre

3º e 4º Lugar
16H15 - AF Beja 0-3 AF Portalegre

Final
17H40 - AF Évora 2-2 (1-4 GP) AF Algarve

1º- AF Algarve
2º- AF Évora
3º- AF Portalegre
4º- AF Beja

SC Ferreirense vence SuperTaça Distrital!

Ferreirense vence Taça
O SC Ferreirense venceu na tarde de hoje a formação da SA Almodovarense por 5-1, em jogo a contar para a SuperTaça Distrital de futsal. O jogo ditava o término competitivo dos campeonatos distritais da AF Beja .
Em Aljustrel, no Pavilhão Municipal dos Desportos Armindo Peneque, a equipa de Ferreira do Alentejo foi mais forte e ao intervalo já vencia por 2-1.
Na segunda parte o Ferreirense aumentou o seu domínio, marcando mais três tentos, quando a SA Almodovarense tentava tudo para inverter o marcador.

SuperTaça Distrital de Futsal - SC Ferreirense VS SA Almodovarense

Sociedade Artística Almodovarense Saa
Siga em direto a partir das 16 horas o andamento do resultado da SuperTaça Distrital de futsal que coloca frente a frente o campeão distrital, SA ALMODOVARENSE e o vencedor da Taça Distrital, SC FERREIRENSE, no Pavilhão Municipal dos Desportos Armindo Peneque, em Aljustrel.




SC FERREIRENSE 5-1 SA ALMODOVARENSE
Final

Liga de Formação (Benjamins) - 3ª Momento - 14ª Jornada

Chegou ao fim a Liga de Formação no escalão de benjamins. Nesta última ronda poucas mudanças na classificação final, com o SC Ferreirense "A" a conseguir o pleno na série D, somando 12 vitórias, em 
outros tantos jogos.

Clube Desportivo de BejaSérie A - 14ª Jornada
CCD Bº Conceição 3-3 CD Beja "B"
JC Boavista 1-1 GD Renascente
Despertar SC "B" 2-0 SRM Sanluizense
Descanso: Alvorada FC

1º- CD Beja "B", 32 pontos
2º- CCD Bº Conceição, 29 pontos
3º- JC Boavista, 24 pontos
4º- GD Renascente, 13 pontos
5º- Alvorada FC, 12 pontos
6º- Despertar SC "B", 9 pontos
7º- SRM Sanluizense, 3 pontos

Grupo Desportivo e Cultural de AlvitoSérie B - 14ª Jornada
CA Aldenovense 4-5 FC Serpa
FC Castrense 1-2 GDC Alvito
SC Ferreirense "B" 1-4 Moura AC "A"
Descanso: CF Vasco da Gama

1º- GDC Alvito, 29 pontos
2º- FC Serpa, 28 pontos
3º- Moura AC "A", 22 pontos
4º- FC Castrense, 14 pontos
5º- CA Aldenovense, 14 pontos
6º- SC Ferreirense "B", 12 pontos
7º- CF Vasco da Gama, 1 ponto

Sporting Clube FerreirenseSérie D - 14ª Jornada
CD Beja "A" 2-5 SC Ferreirense "A"
CD Almodôvar 1-2 Despertar SC "A"
SC Cuba 5-1 SC Odemirense
Descanso: CD Praia Milfontes

1º- SC Ferreirense "A", 36 pontos
2º- SC Cuba, 24 pontos
3º- Despertar SC "A", 21 pontos
4º- CD Almodôvar, 21 pontos
5º- CD Beja "A", 13 pontos
6º- SC Odemirense, 6 pontos
7º- CD Praia Milfontes, 4 pontos

sexta-feira, 30 de maio de 2014

Entrevista: Joaquim Fernandes, presidente do GDC Baronia!



1- Fale-nos um pouco de si, da sua ligação ao desporto e como surgiu a ocasião de se tornar presidente do GDC Baronia?
Chamo-me Joaquim Fernandes, tenho 41 anos, e tal como qualquer outro filho da terra, em miúdo também eu fui atleta do clube, por motivos profissionais tive 8 anos a viver fora de Vila Nova da Baronia, acompanhando a vida do clube como podia, quando em 2005 regressei à terra foi com grande tristeza que me deparei com o clube sem direção e claro sem qualquer atividade, este clube que tinha muito mais condições que outros que eu conheci pela minha passagem profissional por varias terras. Foi nessa altura que em conversas com alguns amigos como Miguel Carvalho e Jorge Santos, pensamos em convocar uma Assembleia Geral com os sócios, para propormos a reatividade do Grupo Desportivo e Cultural Baronia. Nessa Assembleia juntaram-se a nós outros sócios e “filhos da terra”, que ainda hoje pertencem aos órgãos sociais do clube, e reativamos o clube, sempre com a ideia de um clube de Futsal, visto ser está uma modalidade em desenvolvimento e da na terra termos atletas de valor, em 2006 surgiu também a seção de cicloturismo assim com a Ginástica de manutenção, as quais ainda hoje se mantém em função.


2- Como avalia a temporada a nível da equipa de futsal sénior?
As épocas no nacional são sempre épocas complicadas para nós, não a nível financeiro ou de infra-estruturas porque para isso o clube está preparado, mas porque a nível competitivo ainda existe, pese embora seja menor, diferença entre as equipas de Setúbal, Algarve e Lisboa e a nossa. Aquilo que temos constatado ao longo dos anos é que nos momentos decisivos a maior competitividade e experiência na modalidade faz a diferença, se reportarmos isto para o distrital é precisamente isto que tem feito a diferença nos momentos decisivos entre nós e os demais adversários. A falta de formação de base nos nossos jogadores apesar de alguns terem alguns anos na competição nota-se em vários aspectos do jogo.
Este ano sabíamos que não iriamos ter qualquer hipótese uma vez que desciam 11 equipas então a nossa meta era para além de dignificarmos o nosso distrito seria alcançar o maior número de pontos possíveis. A primeira parte do campeonato não nos correu bem, a equipa em alguns jogos nos momentos decisivos não conseguiu garantir pontos, lembro-me do jogo com o Leceia, com o Atlético, com o Louletano, com o Farense, com a AD Quinta do Conde, com o Miratejo, jogos onde poderíamos ter pontuado mas não conseguimos. Na segunda volta tudo foi diferente a equipa encontrou-se e fizemos uma segunda volta de bom nível tendo terminado o campeonato com uma vitória perante a AD Quinta do Conde por 4-1. O balanço acaba por ser positivo uma vez que deixamos mais uma vez uma boa imagem, acabamos por bater pontualmente a nossa melhor pontuação e conseguimos lançar alguns jovens jogadores na primeira equipa que nos dá uma perspectiva de futuro muito positiva.

O GDC Baronia apresentou esta temporada dois escalões de formação a participação nos campeonato da AF Évora. No escalão de juniores venceu o campeonato e o torneio de abertura e consequente participação na Taça Nacional de Juniores. Como analisa a prestação de ambas as equipas?
A formação foi sempre uma meta para a secção de futsal. Não é fácil no nosso concelho formar equipas pois a competição com o futebol de 11 ou 7 pela matéria-prima é real e acaba geralmente sempre por nos causar prejuízo. Pese embora este ponto prévio nunca baixamos os braços e há 4 épocas que temos formação. Começamos pelos juvenis em 2010/11, em 2011/12 iniciados e juvenis, 2012/13 juvenis e esta época infantis e juniores.
Quando iniciamos a época, mais uma vez no distrito de Évora uma vez que no nosso distrito não se consegue fazer formação uma vez que os clubes não formam equipas, o nosso objectivo era competir e formar atletas nos juniores para entrarem no plantel sénior e nos infantis para iniciação à modalidade. Se nos infantis a equipa não conseguiu em termos competitivos nada de significativo em termos de formação podemos dizer que foi muito positivo, notou-se uma evolução grande nos jovens atletas que nos dá alento a seguir em frente e prova que estamos no caminho certo. Os juniores correu tudo pelo melhor, com conquista de títulos e a surpresa da participação na Taça Nacional com o prémio de recebermos o Benfica. Foi muito positiva esta experiência onde aprendemos muito. Globalmente a nossa época nos escalões de formação foi muito positiva.

GDC Baronia Futsal Juniores

4- A descida aos distritais a nível sénior esta certa devido ao reajustamento dos campeonatos nacionais. Como vê o regresso aos distritais?
Bem o regresso ao campeonato distrital começou a ser preparado já nesta temporada de nacional, uma vez como referi atrás sabíamos que não teríamos hipóteses de garantir a subida à 2ª divisão e nesse sentido o regresso ao distrital seria uma realidade. Não vamos por isso para a próxima época fugir das nossas responsabilidades, sabemos que pela nossa história na modalidade e por aquilo que representamos a nível distrital faz de nós à partida um candidato à conquista das provas onde iremos participar, mas nada mais que isso uma vez que será dentro da quadra que teremos que mostrar esses argumentos. O campeonato ano após ano está mais competitivo e para o ano tenho a certeza que será ainda mais, existem equipas com grande capacidade e qualidade sendo por isso que a nós só nos resta fazer o nosso trabalho, com muita humildade respeitando todos os adversários e intervenientes e no final esperamos que o melhor vença, se formos nós ficaremos muito felizes senão estaremos cá para cumprimentar o vencedor.

5- A aposta na formação é para continuar nas próximas temporadas?
O nosso projecto é claro e não vamos sair deste nosso caminho, sabemos que não é fácil como já referi a matéria-prima é pouca, o futebol de 11 e 7 no nosso meio ainda ganha ao futsal, mas acreditamos em nós e
vamos com certeza para o ano continuar com a formação. Aliás o escalão de juniores é certo que teremos, e é muito possível que possamos ter ainda juvenis. Gostaríamos de ter ainda iniciados mas neste escalão e nos de base as coisas são mais complicadas a nível de atletas pelo que não sabemos ainda o que irá acontecer.

6- Quais os planos do clube para as próximas temporadas?
O nosso projecto é claro e a nossa ideia é continuar a construí-lo sempre com muita tranquilidade, com um passo de cada vez para não hipotecarmos o mesmo por qualquer erro que a precipitação em queremos avançar a todo o custo pode trazer. A nível do futsal sénior vamos continuar a dar todas as condições as nossos atletas para se sentirem bem aqui, apesar de muitos dizerem o contrário, o nosso clube não paga a qualquer atleta nem a treinadores, a nossa aposta é em ter condições de treino, médicas e logísticas para que possamos dar todo o conforto a quem representa o nosso clube. Pese embora as condições a nível da formação serem idênticas, ainda existe aqui muito que podemos fazer e é neste sector que pretendemos trabalhar mais dando mais e melhores condições.

7- Como analisa o estado do futsal a nível distrital?
Bem o futsal distrital tem de ser visto de vários prismas. Na nossa opinião embora tenha existido um aumento de equipas e consequentemente trazido com isso mais competição, o facto é que ainda existe muito para fazer. Desde logo a nível federativo, pese embora haja um dirigente para o futsal a verdade é que sozinho não consegue nem tem feito muito para melhorar o nosso distrital. Existem muitas pessoas dentro da modalidade nos mais variados clubes com ideias positivas e nesse sentido a associação deveria criar de uma vez por todas uma secção para futsal como existe noutras associações e ai com maior frequência debater a problemática da modalidade no nosso distrito. Não vemos a associação ir junto das populações e explicar e debater lá a modalidade, os cursos de treinadores não existem nem em parceria com outra associação nem sozinha, a nível da formação criar espaço para que existam equipas, em Évora por exemplo as equipas que participam no futebol de 11 podem entrar no campeonato de futsal é certo que não é o desejado mas o facto é que todos os anos existem miúdos que querem o futsal, que tem competição devido a isto, olharem para o futsal no desporto escolar e chamarem-no para dentro da competição em colaboração com clubes foi assim que o nosso clube começou na formação e vários clubes pelo país inteiro começaram com a formação. Aliás a associação criou já selecções jovens o facto é que é um passo importante, mas não existe formação no distrito logo é precipitar as coisas no nosso entender, com as mudanças a nível competitivo quem for campeão e quiser subir aos nacionais terá de ter escalões de formação, não sei como é que a nível distrital se vai debater e tratar este problema. Existem muitas coisas que se podem fazer em prol da modalidade que uma pessoa sozinha longe dos clubes sem debater as coisas e ainda com os dirigentes associativos a olharem para o futsal como o parente pobre do futebol de 11 as coisas não podem nem vão melhorar. O certo é que o GDC Baronia está e estará sempre disponível para trabalhar em prol da modalidade sempre que for necessário e chamado isso.

8- Deixe uma mensagem aos adeptos do GDC Baronia e ao site.
Aos sócios, adeptos e simpatizantes do GDC Baronia dizer que podem continuar a acreditar no nosso projecto com a certeza que tudo faremos para que sintam orgulho de pertencerem à família do GDC Baronia. A vós agradecer-lhes a esta oportunidade e desejar com continuem com o bom trabalho em prol do desporto no distrito de Beja e que no que toca ao futsal que continuem a olhar para a modalidade como importante para o nosso distrito.

quinta-feira, 29 de maio de 2014

UDC Beringelense continuará na 2ª Distrital!

O final de temporada foi agitado em Beringel, com a saída do até então presidente do clube João Baião, devido a divergência com membros da atual direção. Posto isto o clube viu-se obrigado a convocar uma assembleia geral com o objetivo de eleger os novos corpos diretivos.
João Baião, que se havia demitido, recandidatou-se com mudanças na sua lista e garantiu de novo o lugar de presidente da UDC Beringelense.
A atual direção terá como principais objetivos a nível administrativo a captação de novos sócios, a atualização da lista de sócios e a criação do cartão do sócio. A nível de desportivo os atuais comprometem-se com a continuação da participação no campeonato distrital sénior da AFB, bem como a formação de um escalão escalão de formação e uma equipa de veteranos.
Além disso a dimanização da seção de atletismo e ainda a criação das secções de equipa de setas do U.D.C.B, criação de uma secção de orientação, criação de uma secção náutica e criação de uma secção de pesca.

Pedro Pacheco reforça FC Castrense!

O FC Castrense continua a preparar a nova temporada e conta agora com um regresso ao clube. Trata-se de Pedro Pacheco, de 25 anos que alinha como defesa e esta de regresso ao clube onde se formou. O jogador fez toda a sua formação ao serviço do emblema de Castro Verde, onde se estreou na equipa sénior na temporada 2005/2006. Permaneceu no clube até à temporada 2008/2009 aquando da mudança para o FC São Marcos, onde ficou por duas temporada, tendo na temporada 2010/2011 regressado ao seu clube de formação numa curta passagem, visto a meio da temporada ter ingressado no AJD Rosairense, seguindo-se depois o CD Almodôvar, onde na presente temporada alinhou em 28 partidas, somando um total de 2332 minutos.

quarta-feira, 28 de maio de 2014

I Maratona de Futebol 7 de Albernôa!


1ª Mini Maratona Futsal do SC Odemirense!

Realiza-se nos próximos dia 14 e 15 de junho a 1ª mini Maratona de futsal, organizada pelo SC Odemirense. As inscrições decorrem até ao próximo dia 2 de junho, com o valor da inscrição a situar-se nos 150 euros + 50 euros de caução. 
O sorteio realiza-se no dia 6 de junho a partir das 21 horas, na sede do SC Odemirense, sendo que cada equipa poderá inscrever um máximo de 10 jogadores e o torneio realizar-se-à com um mínimo de 8 formações.
O prémio para o vencedor situa-se nos 1000 euros, havendo também prémios para o 2º e 3º lugares, bem como melhor jogador, melhor marcador, melhor guarda-redes e equipa fair-play.

V Torneio de Veteranos - CDPMilfontes

O CD Praia de Milfontes leva a efeito no próximo dia 31 de maio (sábado) a quinta edição do Torneio de Veteranos. 
O torneio contará com a participação da equipa local, do FC Tsunami (Lisboa) e IFC Cebolense (Castelo Branco). Os jogos têm início agendado para às 15H30.

FUTEBOL INATEL AGÊNCIA DE BEJA, PARA ONDE CAMINHA ESTE CAMPEONATO?, por Manuel Costa

O futebol da Fundação Inatel Agência de Beja é uma “coutada” por onde proliferam algumas pessoas sem o mínimo de capacidades para gerir este campeonato, quer em organização desportiva, disciplinar e nomeações de árbitros.
Agora que caiu o pano sobre mais uma época desportiva do futebol Inatel aqui no Distrito, só ficando a faltar a participação das 2 equipas apuradas na fase nacional e para as quais eu desejo boa sorte para os jogos que se avizinham. Mas, em minha opinião, este foi o pior campeonato dos últimos 7 anos, digo e afirmo isto, com toda a convicção, pelo simples facto de ter colaborado diretamente com esta instituição enquanto agente de arbitragem e ao mesmo tempo ter acompanhado sempre que possível jogos do campeonato que agora terminou. 
Uma organização medíocre, prepotente, autoritária e sem o mínimo de credibilidade e sensibilidade para gerir aquele que era um dos melhores campeonatos do país até há bem pouco tempo. Só perdia para Santarém que, perante dados, continua a ser o melhor do país. Na minha modesta opinião, este campeonato, é a imagem negativa e incompetente dos seus atuais responsáveis. Durante toda a época desportiva, Beja, foi o único campeonato de futebol que não mereceu honras de resultados e classificações no Site http://www.zerozero.pt. Deram-se ao luxo de coordenar a época 2013/2014 a partir de Évora (tal como aconteceu a época passada), ter nomeações de árbitros a partir de Lisboa e ter a sua Disciplina em Coimbra, em suma, uma orgânica deveras abrangente e ridícula com diversas situações conhecidas em matéria de más punições disciplinares e aqui, existiram claramente casos de “2 pesos e 2 medidas”. 
E também nos sorteios, para as fases seguintes, não houve transparência e até parece que, fizeram esses mesmos sorteios em “cima do joelho”. Até mesmo no sorteio nacional, não entendo como é possível Évora meter 2 equipas nessa fase nacional (quando o seu campeonato tinha somente 14 equipas) em detrimento de Braga e Setúbal que, metem só 1 equipa cada na fase nacional e os seus campeonatos tinham 18 e 19 equipas respetivamente. Ao que me parece, alguém deve ter ficado muito “bem na fotografia”. Até mesmo nas nomeações de árbitros, existem nomeações sem “pés nem cabeça”, onde se nota a pouca qualidade de alguns desses árbitros e noutras situações, nomeações de compadrios e não de qualidade que, são bem evidentes por quem tem alguma sensibilidade em matéria de arbitragem.
Na próxima época, a meu ver, correm o risco de ter uma redução significativa de equipas a participar no campeonato a exemplo do que aconteceu este ano em Lisboa e isto, se esta política desportiva em Beja, não mudar radicalmente e se essas pessoas que gerem o campeonato em “cima do joelho” e à maneira deles, não forem corridos de uma vez por todas.
Sou e serei crítico deste “estado” degradante em que se vai tornando o campeonato de futebol e irei aguardar serenamente para ver os próximos capítulos do futebol Inatel Agência de Beja!

Manuel Costa

@inatelbeja.blogspot.pt

terça-feira, 27 de maio de 2014

Luís Lameira julgado por corrupção desportiva!

O árbitro bejense Luís Lameira e dois dirigentes desportivos começaram a ser julgados esta segunda-feira, 26, na Madeira, por suspeita de prática de corrupção no desporto.
De acordo com o processo a decorrer no Tribunal de Santa Cruz, a Luís Lameira é imputado um crime de corrupção passiva no fenómeno desportivo.
Já o empresário madeirense António Henriques (ex-vice-presidente do Conselho de Arbitragem da Federação Portuguesa de Futebol) e o antigo vogal do mesmo órgão António Azevedo Duarte foram acusados pelo Ministério Público (MP) da prática de um crime de corrupção activa no fenómeno desportivo.
Em causa está o jogo disputado a 25 de Abril de 2004, entre a Associação Desportiva de Machico e o Atlético Clube da Malveira, a contar para a Série E do campeonato nacional da 3ª divisão, que teve como resultado um empate a uma bola.
Segundo a acusação, António Henriques, que já foi detido no âmbito do “Apito Dourado”, terá desenvolvido influências no sentido de beneficiar a equipa de Machico, tendo contactado o árbitro Luís Lameira, a quem terá oferecido como contrapartida a sua subida à segunda categoria.
Adianta o MP que o árbitro concordou com a proposta, pelo que António Henriques entrou em contacto com Azevedo Duarte, responsável pela nomeação de árbitros, para que fosse seleccionado para o jogo na Madeira.
O julgamento decorreu sem a presença dos arguidos, por a juíza Isabel Almeida considerar "não ser imprescindível" para começar a audiência, mas o tribunal teve de nomear defensores oficiosos, visto que os mandatários de António Azevedo Duarte e de Luís Lameira não compareceram à audiência.
O tribunal começou a ouvir as sete testemunhas arroladas neste processo, algumas das quais através de vídeo-conferência, tendo o primeiro depoimento sido prestado pelo árbitro António Pardal, elemento da equipa de Luís Lameira, desde o Tribunal de Beja.
A testemunha declarou que "a arbitragem do jogo (Machico/Malveira) foi normal", considerando que não houve "tentativa de beneficiar qualquer das equipas".
António Pardal admitiu que António Henriques contactou por telefone Luís Lameira, tendo informado que arbitraria o jogo na Madeira, o que achou "estranho", mas, apontou, visto que o jogo se realizaria na semana seguinte "não daria tempo, por via postal", para informar a equipa de arbitragem.
A testemunha considerou ainda "ser normal os árbitros sofrerem várias pressões" e até "ameaças", situações que costumam constar dos relatórios dos jogos.
O advogado de António Henriques, Nuno Brandão, questionando a testemunha sobre o contacto telefónico mantido com Luís Lameira, mencionou que na semana deste jogo António Henriques foi detido no âmbito do ‘Apito Dourado’.
A juíza deste processo referiu que eventualmente decorrerá uma nova sessão da audiência do julgamento a 9 de Junho.

@CorreioAlentejo.com